Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Estátua da Liberdade

… my eyes could clearly seethe statue of liberty, sailing away to sea… 
An American Tune, Paul Simon

Reconheço que a visita à Estátua da Liberdade é um lugar comum mas eu gostei de lá ir.
Gostei de todo o percurso desde o cais, em NYC, com uma aproximação cinematográfica que vai alterando a escala e a tomada de vista.
Há também a grande carga simbólica e ideológica da estátua, que vem de França para os USA.
A ESTÁTUA DA LIBERDADE!
E lembra os milhares de imigrantes que chegavam empilhados em navios e para quem o mesmo percurso de aproximação era sobretudo uma promessa de chegada.
E muitos dos que viveram esta experiência são avós dos actuais Americanos... Será possível pôr o filme a andar para trás?

Casa Major Pessoa

O ícone dos edifícios Arte Nova em Aveiro, atualmente também aqui funciona o museu Arte Nova e uma casa de chá. No topo, uma águia, o símbolo da cidade.

Lojas tradicionais de Lisboa

Desenho de Teresa Ruivo

Temos mais um desafio lançado pelo Fórum Cidadania Lisboa (foram eles que nos desafiaram a desenhar Lisboa Entre Séculos que esteve exposto no Museu da Cidade):

Desenhar as lojas tradicionais de Lisboa.

O Fórum Cidadania Lx formou o Círculo de Lojas de Carácter e Tradição com o objectivo de defender e divulgar o comércio tradicional da cidade. Dar a conhecer este património invulgar numa capital é, em simultâneo, um imperativo deste Círculo e uma forma nova de conhecer Lisboa.

A proposta é desenhar cada uma das lojas-membro, fachadas, letras, interiores, tectos, pormenores surpreendentes que as tornam um marco inultrapassável em Lisboa.

Os desenhos poderão constituir a base para uma série de acções a desenvolver em conjunto com outras entidades, Juntas de Freguesia, CML onde se incluirão: exposições, uma possível edição, divulgação em mupies, postais.

Entrega até fim de Abril.

As lojas são as seguintes (nome da loja, da rua e o mapa):

1) A Carioca - Chiado ao pé do Camões
2) A Mariazinha - Alvalade, av. Rio de Janeiro
3) André Ópticas - Óptica do Chiado - R. Garrett
4) Aníbal Gravador - R. Nova do Almada
5) Armazém das Malhas - R. Forno de Tijolo (Bairro das Colónias)
6) Au Petit Peintre - R. de São Nicolau
7) British Bar - Cais do Sodré
8) Casa Achilles - R. de São Marçal
9) Casa de Sementes Soares & Rebelo - Rossio/Pç da Figueira (próximo da Suiça)
10) Casa Macário - Rua Augusta
11) Casa Pereira da Conceição - Rua Augusta
12) Casa Xangai - Ava. da República
13) Caza das Vellas do Loreto - R. do Loreto
14) Chapelaria Azevedo Rua - Rossio
15) Confeitaria Nacional - Pç. da Figueira
16) Conserveira de Lisboa - R. dos Bacalhoeiros
17) Ervanária Rosil - R. da Madalena
18) Estrela da Sé - Restaurante - Largo de Sto. António da Sé
19) Fábrica Sant'Anna - R. do Alecrim
20) Farmácia Andrade - R. do Alecrim
21) farmácia Barreto - R. do Loreto
22) Farmácia Gama - Calçada da Estrela
23) Farmácia Gomes - R. Rodrigo da Fonseca
24) Farmácia Morão - Largo da Graça
25) Ferragens Guedes - R. das Portas de Sto. Antão
26) Mundo do Livro - Largo da Trindade
27) Óptica Jomil - R. do Ouro
28) Ourivesaria Araújos - Rua do Ouro
29) Ourivesaria Barbosa & Esteves - Rua da Prata
30) Ourivesaria da Moda - Rua da Prata
31) Ourivesaria e Joalharia Barreto & Gonçalves - R. das Portas de Sto. Antão
32) Ourivesaria Tous-Aliança - Rua Garrett
33) Pastelaria Versailles - Ava. da República
34) Ginjinha Sem Rival e Eduardino - R. das Portas de Sto. Antão
35) Joalharia do Carmo - Rua do Carmo
36) Joalharia Ferreira Marques - Rossio
37) Livraria Aillaud e Lello - Rua do Carmo
38) Livraria Férin - R. Nova do Almada
39) Londres Salão - Rua Augusta
40) Luvaria Ulisses - Rua do Carmo
41) Manteigaria Silva - R. D. Antão de Almada
42) Pequeno Jardim - Rua Garrett
43) Pérola do Chaimite - Ava. Duque de Ávila
44) Pérola do Rossio - Rossio
45) Príncipe Real Enxovais - Príncipe Real/ Rua da escola Politécnica
46) Restaurante Gambrinus - R. das Portas de Sto. Antão
47) Restaurante Snack-Bar Galeto - Ava. da República
48) Retrosaria Bijou - Rua da Conceição
49) Sapataria do Carmo - Largo do Carmo
50) Sapataria Lord - Rua Augusta
51) Tabacaria Martins - Largo do Calhariz
52) Tabacaria Mónaco - Rossio
53) Cafélia - Avenida de Roma
54) Ourivesaria Sarmento - Rua do Ouro. Junto ao elevador de Santa Justa
55) Casa Pereira - Rua Garrett
56) Mercearia Pérola de São Mamede - Rua Nova de São Mamede 19A
57) Pastéis de Belém - Rua de Belém 84-92

Percursos I



Percursos (I)

Pela falta de tempo - não em desenhar, porque o faço todos os dias, mas pelo dito que muitas vezes me 'rouba' a vontade de postar.
Agora, resolvi ir ao caderno de memórias (eheheh) a que chamarei "Percursos" e partilhar um pouco dos 'cantinhos' mais belos para desenhar!
- José Leal

Edificio abandonado, Alcântara


Vilas de Campo de Ourique

Pátio das Barracas ou Vila Benitez, na Rua de Infantaria 16

Vila Fernandes Lopes, na Rua Campo de Ourique

No dia do relançamento da "Evolução das formas da habitação plurifamiliar em Lisboa", de Nuno Teotónio Pereira e Irene Buarque. O prédio de tipologia Esquerdo/Direito é apenas uma das formas possíveis e uma das de menor socialização nos acessos.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Um yin-yang subterrâneo



Rita Cortez Pinto

Este ano o “Um ano a desenhar para o futuro” faz-se em colaboração com os USkP, integrado na programação de Lisboa Capital Ibero-Americana da Cultura e com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa.

É já no próximo sábado dia 4 de Fevereiro pelas 10h30 no Museu Vieira da Silva que irá decorrer a segunda oficina, esta com a Rita Cortez Pinto . O trabalho dela cruza vários universos (as Artes Plásticas, a ilustração e a Arte-educação) que têm sempre em comum o mundo do Desenho.


VAMOS DESENHAR COM...



Três momentos da oficina que o Filipe Almeida orientou no passado sábado no Museu do Carmo no âmbito da iniciativa Vamos desenhar com...
Primeiro a conferência, depois o exercício proposto ( um desenho de linha contínua ) e por último um desenho livre.
Como sempre foi muito bom.

Caderno de folhas pretas

Tenho uns amigos que abriram um restaurante. Pintaram duas paredes de ardósia e disseram-me que se eu quisesse podia fazer daquelas paredes o meu laboratório. Liberdade total. Eu aproveitei e tenho feito desenhos com giz de grande formato. Desenhar numa superficie preta é completamente diferente de desenhar na superfície branca. O preto é escuridão logo cada linha é uma brecha de luz. Adorei as experiências por isso comprei um caderno de folhas pretas. No sábado fiz a estreia do caderno A4. Junto à praia estava esta auto caravana. A manhã estava solarenga e serena. Por isso foi sentar-me e desenhar.

 


No sábado de manhã fomos desenhar Campo de Ourique - as suas Vilas.

Sketch feito na Vila das Barracas a que sempre chamei a Vila Benitez porque o senhor vivia na casa em frente à nossa. Ambas faziam esquina da Infantaria 16 com a 4 de Infantaria.

Foi um momento único que me levou ao passado e às memórias do bairro e da rua onde nasci e onde vivi os meus primeiros dez anos.

Terreiro do Paço - Barreiro


No passado dia 25/01/2017 um acidente com um dos ferrys que faz a travessia Lisboa-Barreiro numa manhã de muito nevoeiro, enviou o "Antero de Quental" (os ferries têm todos nomes de escritores) para o estaleiro e assim ficámos com menos um operacional. Tenho apanhado em alguns horários, barcos mais pequenos, que normalmente fazem a travessia entre o Seixal e Lisboa.  Neste dia não arranjei lugar, mas aproveitei para desenhar o ambiente. A rapariga de frente topou o que eu estava a fazer, mas não se mexeu. Talvez do cansaço do dia.

Castelo Branco - workshop World Sketching Tour








World Sketching Tour em Aveiro

Já com uma semana de atraso vem o post :) No sábado à noite o Luís Simões fez uma apresentação muito animada da sua viagem, com muita gente interessada em ouvir as suas histórias que foram muitas mas que dava para estar pela noite fora, afinal de contas foi um pequeno resumo de 5 anos de viagem por quase 40 países. Os inúmeros cadernos em exposição são um testemunho e contam as histórias e vivências desses anos em viagem. Fez tb a apresentação de um livro onde com um desenho por país, conseguiu fazer um resumo da sua aventura, que embora tenha tido este descanso, ainda está por terminar, venham ainda Africa e Américas :).
No dia seguinte logo pela manhã fizemos um workshop de desenho de rua, em que foi muito interessante receber todos os conhecimentos que se vai adquirindo com tanta experiência diária no desenho. Daqui a uns anitos, esperemos recebe-lo novamente!

A tertúlia realizou-se nos Trilhos da Terra e fica aqui um pequeno vídeo.


 
 

Vilas e Pátios - Campo de Ourique

Mais um encontro para descobrir Lisboa :-)




A Presença das Formigas _ Cine-Teatro Avenida, Castelo Branco


Toranjas no Mercado de Campo de Ourique


Max

Não é bem "urban sketching"... mas é o "life sketching" de um gato, o Max, 50% a dormir, 50% em furacão, dificílimo de registar...
Sem contar com os esboços de cinco segundos que já tenho feito, como desenhar gatos? Só quando dormem, e mesmo assim é difícil, principalmente ao dar-lhe cor. Não sigo os desafios do mês, nem o ia aceitar mesmo depois deste passar, mas o fim de semana estava chuvoso e o felino mostrou-se a jeito... 



domingo, 29 de janeiro de 2017

#ruadocapelão


Fim de semana em Castelo Branco



Mais desenhos aqui.

A última estação para este caderno de bolso

Já está um novo na mala pronto a iniciar a viagem...



 

#desenhocavalo



Vilas de Campo de Ourique

Estas "vilas" são testemunhos vivos da fixação das pessoas no espaço urbano, tendo passado ao longo dos tempos por diversas fases. Hoje ainda é considerável o número de residentes nestes espaços, mantendo-se ainda relações de vizinhança e solidariedade entre eles. Actualmente são espaços degradados sem infraestruturas que urge reabilitar devido ao seu valor histórico cultural e social. Apesar da degradação é notório o gosto pelo embelezamento destas vilas, com o cultivo de diversas plantas, como é o caso desta vila do Paiol.

O ano do galo


Como parte do 54º Sketchcrawl mundial, os Urban Sketchers portugueses encontraram-se na praça mais internacional de Lisboa para se juntarem e desenharem a celebração do ano novo Chinês. Não há uma Chinatown formalizada em Lisboa, ao contrário de muitas outras cidades no mundo ocidental onde o Sketchcrawl irá ter lugar. Mas o Martim Moniz é, sem dúvida, o lugar no país onde a comunidade Chinesa está mais presente. O que o impede de ser uma Chinatown é que muitas outras comunidades de imigrantes partilham a praça como um centro e todos se acrescentam ao mosaico cultural que o Martim Moniz é hoje.



As festividades públicas tiveram lugar uma semana antes do novo ano propriamente dito (que calhou a 28 de Janeiro) para deixar essa data para o convívio famimiar da comunidade Chinesa. No palco central, várias turmas de escolas Chinesas vieram mostrar os seus talentos musicais e de dança. Uma das pequenas dançarinas, ainda vestida e maquilhada a rigor - Yanchi - ainda me deu o seu autógrafo no caderno, ao lado do seu retrato, enquanto à volta espalhava-se um mercado sobre metade da praça, com venda de artesanato e peças tradicionais Chinesas e representações de negociantes e associações comerciais. Infelizmente, a parada do dragão já havia acontecido no dia anterior.



Feliz ano do galo para todos!

As vilas antigas...

... fez parte do nosso percurso para Desenhar Campo de Ourique. Ainda se encontram! Por vezes estão à vista outras não. Temos de percorrer corredores estreitos ou abrir portas ou procurar no fundo de um pátio algumas pessoas que ainda aqui vivem em habitações muito pequenas e degradadas! 

Exposição 50 anos Ponte 25 de Abril

A exposição dos desenhos associados à comemoração dos 50 anos da Ponte 25 de Abril, patente nas instalações das Infraestruturas de Portugal no Pragal, pode ser visitada até 17 de Fevereiro, de Segunda à Sexta e entre as 9 e as 18h.  Quem o pretender fazer, deverá no entanto enviar previamente um email a solicitar autorização, indicando nome, nº de identificação, e o dia e horário que pretendem visitar. Quem vier de carro deverá também dar a respectiva matrícula.

O email deverá ser enviado ao cuidado de Nadir Fernandes. Endereço de email AQUI



Semana Ilustrada

Gosto da ideia do desenho em cadernos ser uma espécie de apontamento do que aconteceu, um parágrafo num bloco de notas, um registo do tempo que demorou aquele momento.

Foi isso que fiz na quarta-feira passada na Assembleia da República, na discussão da TSU, para a ilustração no jornal Público no suplemento P2 para a rubrica que sai aos domingos “Semana Ilustrada”.

Em baixo estão dois dos apontamentos que lá fiz. No meu blog estão mais alguns apontamentos e a ilustração final e aqui a dupla página. Acho que a ilustração final não tem cabimento neste blog por não ter sido feita de observação no próprio local.



Cascais

Recinto que dá acesso ao Farol de Santa Marta

Jardins da Casa de Santa Maria

Vamos desenhar com...



Ontem decorreu mais uma sessão dos encontros Vamos desenhar com ... uma iniciativa conjunta do Museu Arqueológico do Carmo com a Associação Urban Sketchers Portugal.
Foi a vez do Filipe Almeida nos levar numa viagem guiada pelos seus desenhos e pela sua relação com o desenho.
No fim, o desafio de desenhar sem levantar a caneta do papel.

sábado, 28 de janeiro de 2017

Bancada 11 do Mercado de Campo de Ourique

Hoje o encontro era em Campo de Ourique.
Não cheguei a horas, fiquei um pouco pelo mercado e fui dar uma volta.
Encontrei imensos japoneses (ou afins) a desenhar e outros dois retardatários.

Linhas

Testando uma amostra de tinta De Atramentis Document Brown com caneta Lamy Safari (F).

Minis ao Monte_em direcção a Monte Carlo

Foi nesta quarta-feira que partiram os 7 minis de Lisboa, em frente ao ACP, em direcção a Monte Carlo, em homenagem aos 50 anos da 3ª vitória no Rally de Monte Carlo. O meu amigo David levava a sua fiel réplica do 177.

E os outros levaram nas portas o meu logótipo.