Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Lisboa que vai mudando III


Continuando a descer a Rua de São José, desenho os números 144 e 146. Prédio devoluto e degradado.
O número 144 era um antiquário que ainda cheguei a ver aberto com descontos de 50% com vista ao encerramento. Fechou há uns 3 anos.
Este edifício também foi adquirido pelo mesmo investidor, dos números acima, para um possível hotel ou apartamentos.
Não consegui perceber o logotipo e o nome que está por cima da porta da loja.

7 comentários:

Lurdes Morais disse...

Gosto!

hfm disse...

Gosto. Muito.

Pedro disse...

Registos da maior oportunidade.

nelson paciencia disse...

Uau! Também gosto muito.

Isa Silva disse...

belo registo :-) Essa rua tem algumas preciosidades

Alexandra Baptista disse...

Tão bonito, gosto muito da paleta.

Suzana disse...

Tão bonito este desenho!