Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

domingo, 30 de abril de 2017

Literatura e Viajantes I

Sábado... o sabor de fim de semana dava continuidade à calmaria da manhã...
Fui assaltado por uma panorâmica nova e resolvi aquecer... começa sempre bem, como uma massagem ao espírito... a meio, percebo o caos visual onde me tinha entalado... muito ambicioso para um aquecimento.
Linhas com vontade própria e com tanto detalhe, a paciência a esgotar na fonte... até que cheguei ao ponto de puxar pelo pincel preto e abrir o para-quedas, dar o nó à linha com cor e terminar.


Abrantes

Travessa do Brás Gil.
Residência Artística, Cadernos de Viagem.

Latitudes. Óbidos.

Pastel de arroz doce, esferográfica e aguarela, 29 abril 2017.

"Beco" (do qual não consegui encontra o nome), esferográfica e aguarela, 29 abril 2017.

Rua da "Casa do Javali", esferográfica e aguarela, 29 abril 2017.

Óbidos



Óbidos


Foi uma manhã bem passada. Soube a pouco, mas já valeu o dia!

LOJAS TRADICIONAIS DE LISBOA

O prazo de entrega dos desenhos foi prorrogado para o dia 15 de Maio.
Enviar para o email  circulolojas@gmail.com

IMPORTANTE: Algumas lojas declararam agora que não querem participar no livro. Ainda não está decidido se participam na exposição (se esta se vier a concretizar). Vimos, por isso, chamar a atenção para a lista das lojas onde está indicado quais as que participam (a azul), quais as que não querem participar (a vermelho) e quais as que ainda não se pronunciaram definitivamente (a verde).

Esta lista vai sendo actualizada. Pedimos desculpa a quem já desenhou lojas que agora não querem participar no livro. 

Lojas Tradicionais de Lisboa - Farmácia Morão

E com esta perto da zona onde moro, acabo os desenhos que consegui fazer para o desafio das lojas tradicionais de Lisboa.
Neste caso, tive um pouco mais de tempo para desenhar.
Confesso que apesar de já ter passado à sua porta tantas vezes, nunca lá tinha entrado e fiquei deveras espantada com a beleza interior inclusive o chão em calçada portuguesa.
Um dos desenhos acabou por ficar um dos meus preferidos. E não tivesse eu um blog chamado http://pesquetocamlugares.blogspot.pt :-)









Lojas tradicionais na Rua Garrett

Rua Garrett em fim de tarde, resultou no desenho de três das lojas listadas no desafio das "Lojas tradicionais de Lisboa".

Já fiz estes desenhos em meados de Março e é curioso que, agora, passado mês e meio, já acho que desenharia de outra forma. Uma coisa é certa - desenhar todos os dias - aprofunda a capacidade de observação.

Consigo identificar erros que hoje, digo eu, já não faria. De qualquer forma aqui fica como contributo para este desafio, ilustrações da loja #55 Casa Pereira, #32 Ourivesaria Tous-Aliança e #42 Pequeno Jardim.

Tenho no blog http://sejamuitoooofeliz.blogspot.pt/ algum descritivo das situações vividas que enquadram estes desenhos.






 

Abrantes

Escadas de S João.
Aproxima-se o final da "Residência Artística"

sábado, 29 de abril de 2017

Óbidos - Latitudes

Hoje à tarde no Festival Latitudes, com o Tomás e o Bruno Vieira.
 
Dia de reencontro com amigos. O espaço que nos cederam é fantástico. A exposição ainda melhor. Depois de investir em livros e num caderno novo, fui com o Tomás fazer uns desenhos.
O 1º foi da Igreja de Santa Maria, à sombra do muro. Este ainda saiu da mão esquerda.
 
 
Depois de uma visita à Igreja de Santiago, deixamos o Bruno para trás, "agarrado" a uma panorâmica sob a vila. Faltou-me a coragem, sigo caminho com o Tomás à procura de um cantinho para mais um desenho. Este é um misto entre mão esquerda e mão direita. Caderno novo - Laloran - há muito que não comprava um caderno...
 
 
 

Em Belém


skketchbook therapy


 Há alguma consciência fotográfica num desenho consciente?

Óbidos

Festival LATITUDES
Vista da janela da galeria onde ficou a exposição dos USkP

Primeira Noite em Óbidos

Vim até Óbidos ao festival Latitudes. É mais uma experiência em família. Estou convencido que se estiver atento aos detalhes vou conseguir criar as condições certas para poder desenhar e viajar em família que é o que seve ser. Pelo menos para mim é importante. Por isso alugámos uma casa bem no centro das muralhas. É perto de tudo. Quando as mais pequenas estão cansadas voltamos para casa. Hoje fizemos o que pudemos. As palestras foram as possiveis. Desenho o que posso e quando posso mas sem me preocupar muito. Jantámos em casa. E como está dentro do castelo pintei um pouco a coisa e disse que era uma casa de princesas.  Foi um jantar muito bom, muito relaxante. Eu e a Inês bebemos um "Casa das Gaeiras" que os responsaveis pela casa nos deixaram. As meninas já estao quase a dormir. Está a correr bem.

Retrosaria Bijou

Retrosarias são para mim uma perdição! Não podia deixar de desenhar esta!



A Primavera a tomar forma...

Notícias da varanda

                                                            
Mais notícias destas aqui

Finlàndia V - Mar Báltico

Em Porkkala, há trilhos que vão dar ao mar. E depois de um almoço ao ar livre, nada melhor que saltar de pedra em pedra, praia após praia. São enseadas sem fim, onde a linha do horizonte é quase sempre interrompida por ilhas de floresta. A aspereza do granito, e até a temperatura gélida, são facilmente esquecidas nesta paisagem tão agradável.


A Finlândia parece ser isso mesmo: um maciço de granito, que até há 10 000 anos estava coberto de glaciares. A erosão do gelo, que entretanto desapareceu, escavou as depressões que a água hoje cobre. São quase 190 000 lagos e praticamente o mesmo número de ilhas que a população pode usufruir livremente. 


O impacto do Homem nota-se até nesta paisagem aparentemente natural: as poças junto à rebentação das ondas estão turvas. Há algas que apodrecem mesmo nesta temperatura escassamente positiva: é o mar Báltico que está doente. Espero que, no futuro, outras gerações possam ver esta água límpida outra vez!

Lojas Tradicionais de Lisboa - Estrela da Sé





sexta-feira, 28 de abril de 2017

Abrantes a Ler

No Cine Teatro S Pedro, mais uma das muitas iniciativas da Biblioteca Municipal, para incentivar a leitura.
Encontros de Cadernos de Viagem. Residência Artística em Abrantes.

Boulevard Saint Germain

Paris é... gulosa, muito gulosa!

(Caneta caligráfica, carimbo e marcador)                                                                                                                                          |«in situ»

De volta a Tomar

Domingo, dia 16 abril
 
Depois de Dornes, voltámos a Tomar
 
 
1ª paragem
esquerda - Igreja de Santa Maria dos Olivais, construída no séc. XII a mando de D. Gualdim Paes - sede da Ordem Templária. Mais tarde Panteão dos Templários.
 
Hoje é reconhecida como uma das obras mais importantes do estilo gótico em Portugal.  A simbologia denuncia a presença e influência da maçonaria. A igreja é uma peça de uma beleza incrível, muito bem conservada. Cá fora, a torre que permitia o controlo militar sob o rio Nabão. Ao fundo e do lado oposto, o castelo de Tomar e a Igreja de Nªa Sraª da Conceição,  a próxima paragem. Esta Igreja (direita) fica implantada num morro a caminho do castelo, com uma vista privilegiada sob Tomar. Foi construída no séc. XVI, ao estilo renascentista. Está fechada, uma pena
 
 
Final de tarde - caminhada solitária ao pôr-do-sol
 
Este cantinho junto à ponte (esq) chamava por mim. A guarda de pedra serviu de estirador e que jeito deu para descansar o braço. À frente o rio nabão, à direita a ponte, uma das principais entradas na urbe - a rua da corredoura, aquela rua que quase todos os centros históricos tiveram. Os cavalos deram lugar aos carros e aos peões. A rua desemboca na Praça da República. Para trás fica o café Paraíso, que devia ter sido desenhado, mas desenhar com a mão esquerda em pé, sem apoio, não é fácil. Esta praça tem dois grandes planos - o 1º sob os Paços do Concelho e o morro do Castelo. No meio uma estátua de D. Gualdim Paes.
 
O 2º plano da Praça, do lado oposto é a Igreja de S. João Baptista (esquerda), finais do séc. XV, destacando-se a torre sineira e o seu pórtico Manuelino, impecavelmente conservado. 
 
O cansaço começa a apertar, de regresso ao Hotel deparo-me com a Capela de S. Gregório (dir) que desde o 1º dia anda a piscar-me o olho. Abençoado banco de jardim.
 

Espinho

No passado fim de semana fui a Espinho e registei esta paisagem da janela do hotel. Os dias
estiveram bons e andei de manga curta! Foi uma bela jornada de golfe no Oporto.
Leonor Janeiro

Flores para a Maria Celeste

Mando estas flores do meu jardim para a Maria Celeste. Foi a primeira pessoa que conheci nos USkP fez em Janeiro um ano. Será sempre uma amiga.
Leonor Janeiro

Os USkP e a Cafetaria do IPO

Um dia destes entrou na sala do Desenhar Contigo, no IPO, um senhor  com um polo verde alface,  acompanhado por alguém do Serviço de Gestão Hoteleira.
Dirgiram-se a mim, decididamente, e soube que o senhor vinha "fazer-me uma queixa".
A  sorrir, meio envergonhado, foi dizendo que tinha visto  uma exposição de desenhos lá em cima,  "duns senhores que andaram por aí a desenhar tudo" e tinha ficado  muito triste, porque ninguém tinha desenhado a sua  cafetaria! 
"E é tão bonita...tem as maçãs mais verdes do mundo"- rematou por fim com orgulho!
Lá pus os pés pelas mãos, disse que se calhar a cafetaria teria  estado fechada naquele fim de semana, mas não me safei a prometer que lá iria!
Hoje, às 8 da manhã,  entre um abatanado e o Desenhar Contigo, com os olhos ainda meio fechados  fiz-lhe a vontade. Tinha que ser ...
Para a próxima, faz favor de desenharmos tudo, ok?
:))


Casa do Pelourinho

Esta é   - ou melhor... é mais ou menos :) -  a vista da Casa do Pelourinho, em Óbidos. 
Ontem estava assim, soalheira e irresistível. Como estará no fim de semana?


Há dias no Porto comprei um velho caderno enorme pautado. 
Seria para registar balanços e contabilidades, mas resistiu vazio até à feira de antiguidades que o trouxe até às minhas mãos, por cinco euros. 
De visita à casa de Camilo, em VN Famalicão, mais precisamente numa freguesia que dá pelo nome de São Miguel de Seide, desenhei, inspirado no Lapin, alguns objectos do quotidiano Camiliano.

Um bengaleiro

Uma banheira muito à frente do seu tempo 

A chapeleira ( para transportar os chapéus, que era maior do que a mala de viagem)

A cadeira fatídica

Lojas Tradicionais de Lisboa - British Bar

Esta 'loja' não me agrada em termos finais mas coloco aqui na mesma.



Abrantes 2017

E lá fui de encontro a Abrantes para mais um encontro de sketchers na cidade, este ano com a aliciante adicional de ver a exposição de cadernos e desenhos do Pedro Cabral que vale mesmo a pena visitar. São várias vitrinas cheias de cadernos e vários painéis de desenhos organizados por temas.

Depois da visita e do lançamento do encontro rumámos em direcção ao castelo, onde se estava muito bem sentado nas ervas baixas a recolher o calor do sol e a desenhar.



A hora do almoço chegou rapidamente. Na descida em direcção ao restaurante percorremos as ruas da parte velha, onde encontrámos várias lojas com cartazes inseridos nas montras de desenhos realizados no encontro do ano passado.

A seguir ao almoço, como estavam agendadas as apresentações do Pedro Cabral e do Javier de Blas, não havia muito tempo para desenhar, mas ainda deu para rabiscar qualquer coisa no jardim em frente da biblioteca.