Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sábado, 30 de abril de 2016

NOITE EM SEVILHA



Depois de um dia inteiro de conferências e desenho fomos tentar comer algo a um bar onde tinhamos sido convidados a assistir e desenhar a um concerto revivalista dos anos 60. O "Habanilla Café" estava como as ruas de Sevilha à noite: apinhado de gente. Depois de umas cervejas e umas tapas na esplanada consegui fazer dois desenhos do concerto no interior, encostado ao balcão. Antes de regressar à minha mesa tive de mostrar os desenhos do meu caderno a um grupo de cinquentonas dançantes que assistiam ao espetáculo.

Um quintal muito graficogénico

O quintal da D. Bela Mestre é especial!
Mais desenhos aqui

Aconteceu em Abril 2016

Urban Sketchers Portugal: Blogue | Facebook

ACONTECEU EM ABRIL 
2016


SIMPÓSIO INTERNACIONAL USk



Este ano os Urban Sketchers Portugal vão ter o privilégio de ter dois correspondentes no 7º Simpósio Internacional USk que se realiza em Manchester:
Pedro Loureiro e Luís Frasco.
Mais informações no blogue dos USkP.

No dia 18 de Abril começou a contagem decrescente de 100 dias para o início do Simpósio.



EXPOSIÇÕES

A partir de 19 Dez 2014 | Elvas | "Montra d'Elvas"
O 35º Encontro, realizado em Elvas em Abril de 2013, deu origem a um projecto muito interessante. "Elvas, cidade Património Mundial", mostra como, sobre as cinzas (neste caso grafite) de uma crise devastadora para o comércio local, é possível, com muita criatividade, empenho e colaboração, tornar ventos adversos uma vantagem. Através de uma associação recém criada para dinamizar o património e a cultura nesta cidade raiana (AIAR), foi possível congregar o comércio local, a câmara de Elvas e os Urban Sketchers Portugal que disponibilizaram os seus desenhos produzidos no 35º Encontro.






27-11-2015 a 03-04-2016 | Lisboa | Lisboa, o que o turista deve ver | Mário Linhares | Museu dos Coches


 








29-02 | Exposição Online | Diários Gráficos - Rabiscos no Dia Aberto ITQB 2015 | Org. ITQB NOVA




 



19-03 a 19-04 | Évora | Évora Desenhada por Évora Sketchers | Associação 100 Pavor | Org. Évora Sketchers
Exposição integrada no Encontro Ibérico "Desenhar Évora".







28-03 | Torres Vedras | (a)Riscar o Património 2014 | Galeria Municipal de Torres Vedras
Esta exposição baseia-se no conjunto de trabalhos decorrentes da edição de 2014 da iniciativa (a)Riscar o Património.







29-04 | Lisboa | Conservatório de Dança | Org. EDCN
Exposição dos desenhos realizados nos encontros durante as aulas de dança do Conservatório Nacional durante 2015 e 2016

ENCONTROS

02-04 | Sagres | Sketching with Marc Taro Holmes | Org. USk Algarve

10-04 | Portimão | Encontro no Centro Histórico de Portimão | Org. USk Algarve e CM Portimão

16-04 | Paderne | Caminhada Cultural Aldeia e Castelo de Paderne | Org. USk Algarve

16-04 | Lourinhã | Encontro Oeste Sketchers na Lourinhã | Org. Oeste Sketchers, CM Lourinhã e Centro de Estudos Históricos da Lourinhã

16-04 | Encontro | Lisboa | Desenhar com Maria Meijide no Adamastor | Org. Eduardo Salavisa

17-04 | Arraiolos | ÉSk em Arraiolos no Córtex Frontal | Org. ÉSk

23-04 | Abrantes | Encontro de Cadernos de Viagem | Org.CMAbrantes e NRSOArquitectos


24-04 | Ameixial | Encontro no Walking Festival Ameixial | Org. USk Algarve


30-04 | Évora | Aqueduto da Água da Prata e Património Hídrico | Org. ÉSk





FORMAÇÃO

02-04 | Lisboa | Marcador | José Louro | Alfabeto Lisboeta

09-04 | Lisboa | Soltar o Traço | Pedro Alves | Um Ano a Desenhar para o Futuro, Casa-Atelier Vieira da Silva

09-04 | Portimão | ISMAT Projeta | Hélio Boto, Filipe Almeida, Luís Frasco e Pedro Loureiro | Org. ISMAT

30-03 a 03-04 | Ponta Delgada | Retiro de Diários Gráficos | Mário Linhares e Nuno Branco

30-04 | Lisboa | Descubriendo la verdad que hay en nuestros dibujos | Javier de Blas | Um Ano a Desenhar para o Futuro, Casa-Atelier Vieira da Silva

30-04 | Moita | Diário Gráfico na Horta | Org. CM Moita
 
 
DESAFIOS 




O desenho mais comentado no desafio do mês de Abril é da autoria de Marcelo de Deus.



Urban Sketchers Portugal diariosgraficos@gmail.com

Encontro em Abrantes

No sábado passado houve romagem sketcher a Abrantes onde estava a exposição de diários de viagem organizada pelo Eduardo Salavisa, e onde tive o gosto de contar com um painel e um caderno meu em exposição.
Levei o carro cheio. De manhã, além da visita à exposição, fomos recebidos pelo vereador da cultura, Luis Dias, e pelo coordenador da Biblioteca Municipal, Francisco Lopes. Seguiu-se desenho pelas ruas de Abrantes, plenas de pontos de interesse para desenhar.

Fiquei-me por uma praça, onde abancaram também a Paula Cabral, a Manuela Rolão e a Cláudia Mestre. Em conversa com o vereador e o Eduardo vim a saber que ano passado nesta praça existia uma instalação com imensos sapatos suspensos em cabos, alusivo a um episódio das invasões napoleónicas, em que o General Junot pediu ao povo de Abrantes 10.000 sapatos para as suas tropas.
(Desculpa, Manuela, já não foi a tempo do Desafio das placas toponímicas...)


Quando aparece o Vicente Sardinha com 3 desenhos, vi-me na obrigação de ir desenhar mais. Fui para a praça adjacente onde acontecia um pequeno mercado urbano, mas fiquei-me pelas esculturas que habitam os degraus.


Após o almoço (já publicado AQUI), fui até ao castelo, mas não entrei. Fiquei-me sentado num muro, atraído pela vista da igreja de São Vicente (e, vá lá, pela sombra de uma árvore).


O dia rematou com uma interessantíssima apresentação do Javier de Blas sobre a sua estadia de 1 mês num campo de refugiados saharaui, na Argélia. Delicioso conhecer as histórias por trás daqueles incríveis desenhos pela voz Javier, naquele seu jeito natural mas tão apaixonado. O regresso a Lisboa não permitiu ficar para ouvir o escritor Miguel Real.


a três mãos


O Matias tem andado a utilizar os cadernos. Gosta de os usar, preferencialmente, depois das refeições. Abre numa página, pega nos lápis ou nas canetas e começa a encher as folhas. Ainda não fez dois anos e já vai no quarto caderno...

Contudo, há momentos em que ele se entusiasma mesmo não sendo após as refeições. Mal eu ou a Ketta abrimos o caderno para desenhar, lá vem ele colaborar...
Ainda não tem preferência de mãos, tanto usa a direita como a esquerda e, às vezes, até as duas ao mesmo tempo. 

Neste desenho, quanto mais eu tentava desenhar, mais ele desenhava também. Peguei na caneta e comecei a desenhá-lo, mas o bico do lápis dele tinha de bater no bico da minha caneta. Era um misto de jogo e luta! :)

É preciso amarrar o modo como desenhava no passado. Novos tempos se vivem e as páginas do caderno mostram isso mesmo. 

Métodos auxiliares


Fiz um caderno COPTIC STITCH  com algumas folhas desdobráveis e como não tenho tido outras oportunidades aproveitei para desenhar o ambiente da aula. Trabalhavam a pares, tentando dar resposta a diversos exercícios propostos e entre as trocas de informação e esclarecimentos de dúvidas ouviam-se algumas combinações para a festa do Sr. Santo Cristo dos Milagres. Os próximos dias serão vividos intensamente... no profano, no religioso ou simultaneamente.


(Artline 200 Fine 0.4 sobre ebru)                                                                                                                                                  | «in situ» |

Pequenos urban sketchers

Os alunos do 4º ano do Colégio N. Sra. da Conceição de Beja tiveram hoje a sua primeira experiência de 'urban sketching'. Saíram da sala e foram para o exterior desenhar a sua escola.
A zona do parque foi a preferida pelos alunos.

Alguns dos desenhos dos alunos

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Quinta Mazziotti


Palacete tardo-setecentista de contornos italianos.
Colares ~ Sintra


Monasterio de la Cartuja


O Mosteiro de Santa Maria de las Cuevas, mais conhecido por Mosteiro de la Cartuja está situado em Sevilha e já foi Mosteiro e fábrica de azulejos. Foi restaurado para a Exposição Universal de 1992 e é, desde 1997, o Centro Andaluz de Arte Contemporânea.

Gente à lá minute

Por um lado, a sorte de trabalhar apenas a 3 estações de metro de casa, por outro, o azar de ter pouco tempo para desenhar os transeuntes. Ficam aqui uns registos rápidos, daqueles que esperam na estação e de outros que me acompanham entre Alvalade e a Alameda.





Casa Sta Maria


"Dia das Abelhas" na Gulbenkian

Workshop "Dia das Abelhas", na Fundação Gulbenkian
Formador Mário Linhares - 19.Março.2016

Um dos exercícios deste workshop replicava a relação bipolar que temos com as abelhas.
Para este exercício, a Fundação Gulbenkian forneceu lupas e vários espécimes de abelhas.

1º Usar uma lupa para desenhar a abelha, só a caneta, com todos os pormenores
(representando a nossa proximidade e dependência das abelhas, mel, polinização, ...).


2º Adicionar cor com um pincel colado na ponta de uma cana
(representando a distância que gostamos de manter das abelhas).


Num desenho à parte, experimentei desenhar a abelha só com o pincel na ponta da cana.


Quinta das Conchas





Acabadinho de sair agora do sol e da mata da Quinta das Conchas.

Encontro em Abrantes

Os desenho do encontro em Abrantes, com o respetivo desenho de almoço e a Apresentação do Javier de Blas.




Á hora do almoço ninguém resistiu aos desenhos, acho que todos fomos desenhados por alguém :)

Tenho um problema em focalizar o olhar em geometrias mas com atenção suficiente lá consegui desenhar o azulejo, mesmo assim enganei-me na aplicação das cores :)


Durante a apresentação de Javier de Blas

Sintra (um percurso pelo centro histórico), 24 abril 2016.

Vista do castelo a partir de uma rua na parte de baixo do Palácio.

Azulejos (a partir de painel no Palácio Nacional de Sintra).

Traseiras do Palácio Nacional de Sintra.

Porta (ainda no Palácio).

Tempo para uma queijadinha na Piriquita II.

Palácio Nacional de Sintra visto do Miradouro.

Fonte da Pipa (1788).

Casa (nº 4) a ser engolida pela vegetação. um belo exemplar a lembrar a "ruína" romântica.

Sexta-feira...

Tenho comigo, quase sempre, a minha máquina fotográfica, a mais portátil... a melhor por que está sempre comigo quando preciso dela. Desde que me liguei aos USK que tiro menos fotografias e parte das situações importantes (para mim)  passaram a estar no(s) meu(s) caderno(s)... e isso pode não ser urbansketching no motivo desenhado mas, deve ser -pelo menos- na atitude.

(Artline 200 Fine 0.4  e Pilot G-tec-C4 sobre Ebru)                                                                                                                              |«in situ»|

Desenhar na Escola

Desenhar na Escola. Clube Oficina da Imagem do Agrupamento de Escolas Nuno Álvares em Castelo Branco. O clube já existe há três anos, mas neste ano letivo, desde outubro têm sido raras as terças feiras em que meia dúzia a uma dúzia de dedicados entusiastas não se encontraram para desenhar. Alunos, professores; encarregados de educação e futuros encarregados de educação. Dentro ou fora de portas.