Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sábado, 31 de outubro de 2015

AMADORA BD 2015

Desenho realizado durante a apresentação do livro "Tormenta" de André Oliveira e de João Sequeira.


À espera de um autógrafo.

Agenda dos Sketchers - Outubro 2015


Urban Sketchers Portugal: Blogue | Facebook

AGENDA DOS SKETCHERS



Outubro de 2015

DESTAQUES

desenho: Luís Frasco
10 Out | Lisboa | Assembleia Geral de Sócios | Escola Secundária Pedro Nunes


23 Out | Lisboa | Lançamento do Livro "Lisboa por/by Urban Sketchers" | Museu da Marinha


EXPOSIÇÕES

A partir de 19 Dez 2014 | Elvas | "Montra d'Elvas"
O 35º Encontro, realizado em Elvas em Abril de 2013, deu origem a um projecto muito interessante. "Elvas, cidade Património Mundial", mostra como, sobre as cinzas (neste caso grafite) de uma crise devastadora para o comércio local, é possível, com muita criatividade, empenho e colaboração, tornar ventos adversos uma vantagem. Através de uma associação recém criada para dinamizar o património e a cultura nesta cidade raiana (AIAR), foi possível congregar o comércio local, a câmara de Elvas e os Urban Sketchers Portugal que disponibilizaram os seus desenhos produzidos no 35º Encontro.
4 Set a 11 Out | Monchique | "Riscos & Petiscos" | Ana Rosário Nunes e Carlos Abafa | Casa de Chá Ochalá

24 Set a 11 Out | Coimbra | "Cadernos de Memórias" | Eduardo Salavisa | Mosteiro de Santa Clara 
No âmbito da Feira do Património, esta exposição apresenta 60 cadernos em 4 vitrinas.

25 Set | Lisboa | "(a)Riscar o Património 2014" | Museu de Arqueologia (Mosteiro dos Jerónimos)
Esta exposição baseia-se no conjunto de trabalhos decorrentes da edição de 2014 da iniciativa (a)Riscar o Património.

27 Set a 30 Nov | Silves | "Traços de Património" | Torre de Menagem, Castelo de Silves
Exposição de Desenhos realizados no 76º Encontro de Urban Sketchers Portugal.

10 Out a 6 Nov | Lisboa | "El Cuadernista" | Richard Câmara | Biblioteca Camões

 23 Out a 1 Nov | Lisboa | "Museu da Marinha" | Museu da Marinha 


ENCONTROS

desenho: António Araújo
A partir de 12.out | Lisboa | "Desenhar nas aulas de dança no Conservatório de Dança de Lisboa" | Org. Urban Sketchers Portugal e Escola de Dança do Conservatório

3 Out | Portimão | "Desenhar na Rota do Petisco" | Org. Urban Sketchers Algarve

7 Out | Aveiro | "ASk à Quarta #19" | Org. Aveiro Sketchers

9 e 10 Out | Costa Vicentina | "Fim-de-Semana Desenhando no Cerro da Fontinha" | Org. Ana Frazão

10 Out | Lisboa | "Rabiscos com Ciência da Luz no ITQB" | Org. ITQB-UNL

18 Out | Oeiras | "Encontro 87 USkP - Museu da Marinha" | Org. Urban Sketchers Portugal

25 Out | Mafra | "6º Encontro Desenhando por aí - Do Convento à Quinta" | Org. Jose Manuel Ferreira e Invent Art



desenho: Suzana Nobre
28 Out | Aveiro | "ASk de Lírio" | Estaleiro Teatral de Aveiro | Org. Aveiro Sketchers


FORMAÇÃO

3, 10, 17 e 24 Out | Workshop | Lisboa | Alexandra Prado Coelho e Eduardo Salavisa | “O Desenho e a Escrita no Jornalismo” | Museu Bordalo Pinheiro

10 Out | Workshop | Lisboa | Rosário Félix | “Os objectos de Vieira da Silva e os passeios pelo jardim” | Casa-Atelier Vieira da Silva
"Um Ano a Desenhar Para o Futuro"
 
11 Out | Workshop | Coimbra | Eduardo Salavisa | “O Desenho de Viagem no Nosso Quotidiano” | Mosteiro de Santa Clara

11 Out | Workshop | Lisboa | Richard Câmara | “Quando a Linha é Cor e a Mancha é Linha” | Jardim Zoológico

24 e 25 Out | Workshop | Carcavelos e Oeiras | Rita Caré | “Afinal Consigo Desenhar e Aguarelar!

31 Out | Workshop | Lisboa | Eduardo Salavisa | “Vamos mapear o bairro das Amoreiras 6” | Casa-Atelier Vieira da Silva "Um Ano a Desenhar Para o Futuro"

desenho: Marilisa Mesquita
31 Out | Workshop | Seixal | Manuela e Alice Rolão (convidada especial Marilisa Mesquita) | “Pequenos Grandes Desenhos” | Org. L1B

14 Out a 2 Jul 2016 | Workshop | Lisboa | Mário Linhares, José Louro e Ketta Linhares | “Alfabeto Lisboeta - técnicas de A a Z


Jan a Dez 2015 | Workshop | Almada | Sara Simões | “Oficina de Desenho no jardim da Casa da Cerca - 2015” | Primeiros Sábados de cada mês, Casa da Cerca
 

DESAFIOS 


O desenho mais comentado no desafio do mês de Outubro é da autoria de António Procópio.



Urban Sketchers Portugal diariosgraficos@gmail.com

Guincho


"Assumir o erro, o inacabado"

Oficina de Eduardo Salavisa na FASVS

TARDI - "Putain de Guerre!"

TARDI. Quem se lembra de Jacques Tardi? Das deliciosas BD´s da Adele Blanc Sec? E tantas outras... com aquele estilo inconfundível dele?
Pois desenhei o Tardi. E ele desenhou-se a si. Um pouco inibido por desenhar num desenho de outro. E surpreso: "Tu as dessiné ça pendant le spetacle?". Vi que não conhecia os Urban Sketchers...

Foi em "Putain de Guerre!", um espectáculo fortíssimo de teor anti-belicista com a 1 Grande Guerra com fundo, com Tardi lendo em palco textos que fazem parte do seu álbum homónimo, enquanto passam cerca de 200 desenhos seus, intercalado com músicas cantadas por Dominique Granje (uma estrela da música francesa desde os 60´s, e sua mulher) acompanhada pelos Accordzeam.
Aconteceu no passado sábado, nos Recreios da Amadora, integrado na programação paralela do AmadoraBD.

Uma amostra do génio de Tardi, num desenho sobre a I Grande Guerra - AQUI
Um programa sobre o trabalho dele sobre a I Grande Guerra - "Portrait de Jacques Tardi autour de la grande guerre".



Vila Viçosa


Esta rua é muito famosa em Vila Viçosa, exactamente pelo nome que tem: Rua do volta a trás.
A questão permanece: Aquela casa foi construída no meio da rua ou a rua foi construída para se ter acesso à casa? Enfim, quem sabe não conta e quem conta não sabe.

Parque Urbano

Deu-me imenso prazer fazer este desenho, fomos até ao Parque Urbano de PDL e a paisagem vinha mesmo a encaixar-se na minha página previamente manchada...

(Caneta caligráfica EF e aguarela)                                                                                                                                                 |«in situ» |

Halloween


Andava para desenhar a casa velha, tão velha e tão bonita, de uma quintinha mesmo ao pé de casa. desenhei-a ontem...
parcece que a desenhei para esta quadra a que chamam "...Halloween...", mas não, foi só um acaso. Acho eu...

Timor-Leste: caderno 12 (II- mais amiguinhos do quotidiano)

Díli, gatos (a mãe e o Preto), 22 agosto 2015.

Díli, gatos (a mãe, Olhos de Mongol e a mãe com os três), 10 agosto 2015.

Díli, louva-a- deus, 1 julho 2015.

Díli, louva-a- deus, 1 julho 2015.



Vasco da Gama


Este Vasco da Gama só podia ser louco...
Ir numa casca de noz (sim, porque as nossas caravelas não eram muito mais do que isso), até à Índia é só para loucos...

Portugal, terra de gente corajosa e com laivos de loucura! Já não nos aventuramos pelo mar adentro em caravelas quais cascas de nozes, mas continuamos com algumas loucuras corajosas...

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

B/P

As conversas de café, ao serão em casa de amigos são só vantagens. O convívio e a sâ conversa sobre os temas mais variados, e claro, os desenhos. Sobre tudo e sobre nada, deixando transparecer o que de facto nos une a amizade envolta na mais pura das gargalhadas. Sobraram dois bolos.Quem é servido?

Museu de Marinha

A SIRIUS é outro barco em que eu naveguei e que está agora no Museu de Marinha.

Desenhar bolotas

Fomos à Quinta dos Açores e enquanto esperávamos pela nossa vez (nº32) começámos a desenhar as bolotas que tinhamos no bolso e que trazido do Jardim António Borges, eram pequeninas e delicadas, quando dei por mim o desenho tinha-me feito mudar de direção.

(Caneta caligráfica EF, esferográfica  e aguarela)                                                                                                         |mais aqui: «in situ» |

4 vezes 4

A tomar café, com a vista para o mesmo terraço de sempre.
Quatro cafés, quatro dias seguidos, quatro canetas diferentes 

à noite no museu...




Não chegou ao fim


A meteorologia não estava favorável e eu aproveitei um lugar de estacionamento para viatura eléctricas para ficar dentro do carro a desenhar. Fiz uma mancha e pouco depois de começar o traço a caneta chegou alguém no seu carro eléctrico a reclamar o lugar.
Lá tive que abandonar o local sem ter chegado ao fim do desenho. De qualquer forma dei o assunto por terminado, fechei o caderno e agora já só abro esta página para a observar.

Assumir o erro

E se apagássemos todos os registos que fizemos e deixássemos só aqueles que achamos mais conseguidos? Faríamos isto?



De novo na Gulbenkian.

Quando tenho um intervalo de trabalho, gosto muito de ir fazer horas para a Gulbenkian, nem que seja só para tomar um café. Ontem não havia lugar no exterior, mas escolhi uma mesa lá dentro com vista para o jardim, para a esplanada e para a António Augusto Aguiar. Estava-se mesmo bem!

Mosteiro dos Jerónimos

Este nosso ex-líbris já fez aqui várias aparições, portanto hoje é a minha vez. Sentado no chão, com uma enorme âncora à minha frente, que decidi incluir no desenho, apetecia-me fazer um registo muito solto, sem grandes preocupações com perspectivas ou detalhes.


quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Museu de Marinha

A fragata e o varino


Em Nottingham à procura do Xerife

Depois de visitar Leicester, apanhei o comboio para a curta viagem até Nottingham. Não fiz muitas pesquisa e, como já estava a chegar a meio da tarde, sabia que não ia conseguir ver grande coisa. Assim que saí da estação segui para o centro, atravessando o rio e subindo uma colina. Fui-me guiando por uma bela torre gótica que dominava o horizonte. Ao aproximar-me, reparei que a torre tinha o que parecia ser um logotipo - "Pitcher and Piano". Publicidade? Não, a igreja tinha sido transformada num bar e restaurante! Aproveitei para beber um gin tónico (tradicional, que os 'perfect serve' ainda são novidade em terras de Sua Majestade) e desenhar o contraste maravilhoso entre os vitrais ao fundo e o bar à minha frente...


As ruas do centro de Nottingham são irrepreensíveis e encantadoras. Fui seguindo até ao Castelo de Nottingham e tirando umas fotos aos edifícios mais bonitos. Chegado ao castelo, percebi que pouco tinha a ver com o mítico Robin Hood e o infame Xerife, pois foi reconstruído no século XVII. Mas o castelo tinha um interesse relativo (até porque tinha fechado uma hora antes de eu ter chegado), a rua em frente com as suas esplanadas e cafés era um belo pretexto para mais uma paragem.


O dia estava a chegar ao fim, mas ainda tive tempo para mais uma paragem. Descendo a colina, ligado ao Castelo por caves, encontra-se o Ye Olde Trip To Jerusalem, que reclama ser o pub mais antigo de Inglaterra, em funcionamento desde 1189, ainda Portugal era uma jovem nação... O interior do pub é encantador, mas o hamburger que me serviram estava praticamente intragável. Salvou-se o desenho!

Ensaio da peça "Pensão de Lírio"

Após uma primeira temporada nos meses de Verão, é reposta a peça Pensão de Lírio da Start-Teatro em Aveiro no Estaleiro Teatral. 
Esta peça é inspirada em ""Os três chapéus altos”, uma comédia do conceituado dramaturgo espanhol Miguel Mihura. Escrita em 1932, foi considerado na época um texto absolutamente revolucionário, incorporando elementos que mais tarde seriam definidos como pertencentes ao teatro do absurdo. É interessante constatar que esta peça foi escrita no mesmo ano em que Federico Garcia Lorca escreveu as “Bodas de sangue”. Em “Os três chapéus altos” Mihura contrapõe, mediante uma feliz convivência, o poético e o sentimental, com o humorístico e o sarcástico. A peça move-se em dois mundos: o burguês, hipócrita, de fortes aparências e rigidez de valores morais, e outro, livre e vital, despojado de rotinas e convencionalismos."
Este último ensaio foi pretexto para um encontro ASK, aqui ficam os desenhos.







Conversas à noite, no jardim

Depois de jantar, lá fora 

Florença

 


A extravagância da ida obrigatória ao Rivoire. Este antigo café, conhecido pelo seu chocolate quente é, junto com os da Praça da República, dos melhores e mais caros de Florença. Mas uma ida lá torna-se obrigatória. Fica na Piazza da Signoria de frente para o Palácio Vecchio e tinha uma esplanada antiga donde se via toda a praça e o cimo do Palácio. Infelizmente, fizeram uma estrutura de madeira com grandes chapéus de sol, igual a tantas outras, o pior é que, tirando os que estão na fila da frente e, mesmo esses duvido que vejam todo o Palácio, os outros pouca visão têm da Praça. Pelo preço, não penso lá voltar. Fomos brindar ao bom que foi esta estadia - eu, com saudades de França, escolhi um Khir Royal. No último dia de uma viagem ou já não tenho dinheiro e qualquer sandocha serve, ou então é à grande e, neste caso, à portuguesa.