Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Lisboa entre Séculos

 
Fui com intensões de desenhar o nº 2, mas acabei a desenhar o nº 74 da Av. Almirante Reis em Lisboa. Foi por uma boa razão, o nº 2 estava todo coberto por andaimes  - parece que vai ser reabilitado. Boas notícias.
 
Lá fui eu, a pé, à procura do nº 74 e durante o percurso fui desenhando alguns edifícios interessantes. Quando dei por mim, já estava atrasado, por isso não consegui desenhar muito do discreto nº 74 que se encontra num estado de degradação preocupante. As lojas lá permanecem, resistentes no piso térreo. Até quando? não sabemos. A sobrevivência destes negócios pode ser a sobrevivência deste edifício. Em cima está parcialmente devoluto. A fachada apresenta elementos singulares e importantes para a memória colectiva daquela zona. Destacam-se os azulejos e a "pala arte nova" da loja direita.
 
Aqui fica o meu modesto contributo. Os desenhos de pormenor vão a seguir..

4 comentários:

Rosário disse...

Bom desenho!

zeta disse...

Uma boa opção da longa lista de edifícios.

ana ramos disse...

Excelente André. Como sempre...
Parabéns, foi uma boa opção.

Miú disse...

Modesto? Pois eu gosto bem! E está muito gira a combinação do antigo com o moderno.