Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Freedom revolution

Pois esta é a forma como gosto de desenhar pessoas. Com calma, sentado, passeando a linha lentamente pela folha de papel...
Este desenho, feito em Setúbal, numa pequena viagem de barco à procura dos golfinhos (feito, aliás, no mesmo dia que este), já desafiava o meu bem estar, pois desenhar crianças com 13/14 anos sempre de um lado para o outro já se avizinhava difícil. O que vale é que no mar ficou mesmo frio e eles deitaram-se nas redes do barco, tapados pelas toalhas e casacos...

Bom, mas vamos ao que interessa:

A grande vantagem de fazer uma formação é mesmo esta: fazermos coisas que sozinhos não faríamos nunca. Para quê ir a um workshop para sair de lá a fazer o que já se fazia?
Pois bem, havia que experimentar as manchas quase aleatórias, a linha à procura de emoções sem a preocupação das proporções, o movimento das pessoas, a acção, a história que estava a acontecer. Dificílimo, mas delicioso. O mote era não ter medo de errar e divertirmo-nos!


Depois, no jantar, poderia ter voltado aos retratos que tanto gosto de fazer, mas o meu espírito de aluno falou mais alto e quis continuar a experimentar tudo o que a Marina faz com lápis de cor, manchas, linhas, etc, etc...

O trabalho dela é mesmo fabuloso!

13 comentários:

teresa ruivo disse...

Fabulosos são também estes desenhos. É engraçado que o segundo ainda é muito "mário linhares", mas o terceiro já é mesmo uma verdadeira aventura! Que bom conseguir fazer coisas novas!

Ana Crispim disse...

Giros mesmo!!!

Tiago Cruz disse...

Fantásticos. Como sempre…
O último resulta muito bem! Sempre gostei do lápis de cor nos desenhos.

Ana disse...

Gostava tanto de ter participado!
Os teus desenhos....são lindos!

Pedro Loureiro disse...

É mesmo o que a Teresa diz: este post é um processo de desmáriolinharização. Mas estão os três igualmente bons! Adaptaste-te mesmo bem ao exercício.

Henrique Vogado disse...

Belos exercícios. Tenho de tentar estes desafios com as feições e a procuras das estórias com técnicas diferentes.
Se houver um workshop da Marina para o ano, não falho.

Rosário disse...

Boas experiências!

Maria Celeste disse...

...parabéns, Mário, pela tua «desentalação»...

Manuela Rolão disse...

Fabuloso percurso!

matilde disse...

Ficaram giros...

Ana Barbosa disse...

Que giros! Dá vontade de ir experimentar

Suzana disse...

Que giro, de facto o último é mesmo uma aventura, é isso mesmo que se procura num workshop!

Mário Linhares disse...

"desmáriolinharização" é lindo!!
:))