Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Freedom revolution workshop - part 2

 Depois do almoço, a revolução continuou...


Desafiados para fazer um desenho monocromático, tive de ficar por baixo do arco da Rua Augusta à espera de uma italiana que estava atrasada. Como o tempo de espera tem um significado especial para nós desenhadores, aproveitei para desenhar a confusão de pessoas que circulava...


Depois da italiana chegar e do primeiro desenho estar terminado, circulei pelas arcadas do Terreiro do Paço à procura da ação que a Marina pedia nos nossos desenhos. Vi o Pedro Loureiro a desenhar mesmo em frente a estes músicos de rua. Ao lado, uma infinidade de jovens a fazer o que os adolescentes fazem. Coloquei-me mesmo ao lado dele a desenhar. Perguntámo-nos sobre quem seriam aqueles jovens. Mais tarde acabei por perguntar e a resposta não tardou: era um meeting agendado através do twitter...


Terminei os meus desenhos sentado ao lado de uma australiana.

A cor de Lisboa confunde-se com a cor dos lisboetas...

9 comentários:

João Santos disse...

Belas composições, gosto muito e todo o espaço em branco e dos apontamentos de cor.

Henrique Vogado disse...

Os tempos de espera são valiosos para desenhar. E nota-se no resultado. Gosto muito do 1º desenho.
Um desafio para mim o uso de lápis de cêra. tenho de experimentar.

Maria Celeste disse...

...gosto muito do desenho junto da longínqua australiana...
...tem perto ,longe e uma cor...

Pedro Loureiro disse...

Excelentes! E bela reportagem também!
Acho que apanhaste na perfeição aquilo que era o exercício monocromático proposto pela Marina no primeiro desenho!

artepacja disse...

gosto de tudo... do enfoque, das cores, do trazo, da simplicidade que mostra tudo e que nos transporta ao momento vivido....

nelson paciencia disse...

Mário, o bom aluno. Da próxima vez vou andar sempre à tua beirinha, a aprender como se faz. Gosto de todos.

Luís Ançã disse...

O surpreendente Mário.

Mário Linhares disse...

Foi um grande sábado!
Nélson, tu não precisas de mim para aprender como se faz! Já sabes fazer e muito bem!

Ana Crispim disse...

Preciso eu!!! Muito...