Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sábado, 26 de Janeiro de 2013

Viagem a Timor-Leste, hoje, às 14h30

 
Maubisse, 13 de Agosto de 2009 - quinta-feira
Quinta-feira é dia de Mephaquin...
Pequeno-almoço de rei, fomos de manhã até casa do tio Acássio. Estivemos com o Aurísio e conhecemos a casa dos pais da D. Joaninha. Aproveitei para desenhar um cacho de bananas. Fomos depois dar uma volta ao mercado. Estava a acontecer um jogo de volley, mas não houve tempo para vermos. Muita gente e confusão no mercado. A minha presença canaliza muito as atenções. A pele clara é algo raro por aqui!
Ao almoço comi pela primeira vez carne seca. Parece que no tempo da chuva é a única carne que se consegue comer, pois é a época da fome (ou pelo menos da menor abundância). O sabor é forte e o cheiro péssimo. No final até nem é mau de todo, mas acabei por comer apenas dois pedaços.
À tarde fomos passear (a ideia era conhecer as mais de vinte cabeças de gado do tio Tonito) e encontrámos alguns produtores locais de café. Estavam a secá-lo ao Sol. O passeio terminou com a visita a uma pousada num ponto alto de Maubisse. A construção é antiga. Não percebi se é dos portugueses, mas pareceu-me que sim. A vista é absolutamente incrível!
Jantei arroz com couve e tomei o comprimido da Mephaquin...
... agora só espero não vir a ter pesadelos...

Esta e muitas mais histórias de Timor, retiradas do meu diário gráfico, às 14h30, no Museu das Comunicações, em Santos, hoje, dia 26 de janeiro. Apareçam!

3 comentários:

Luís Ançã disse...

As distâncias, com a crise, são mais distantes...

Mário Linhares disse...

As próximas temos de pensar em transmitir online em directo...

Vou propor isso na fundação!

Luís Ançã disse...

É uma excelente ideia, Mário.