Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Frases soltas "à porta" da praia

Muitas vezes fico "à porta" da praia, à espera que o meu filho venha do surf. Enquanto ali estou divirto-me com pequenos 'flashes', pessoas peculiares, posições engraçadas, frases que me fazem rir e que tento apanhar tipo instantâneo. Esta foi uma delas...


Vários

Uma estranha viatura para manutenção da linha do Estoril. Tive cerca de 10 minutos para fazer o desenho, até vir o comboio...

Um manequim de uma montra nas Amoreiras.

Eléctricos e outras maravilhas no Museu da Carris

Lá fomos novamente ao fantástico Museu da Carris! Ia já com a fisgada de desenhar um instrumento musical da Banda da Carris. Nos outros encontros, não tive tempo para me dedicar aos instrumentos, nem para visitar a 3ª secção do Museu que tem as viaturas mais recentes e uma cabine do condutor de uma carruagem de Metro, onde me sentei a desenhar o painel de instrumentos.
Para verem fotos clicar AQUI.

M Carris - Rita Caré 2015 (1)


M Carris - Rita Caré 2015 (2)


M Carris - Rita Caré 2015 (3)


Enquanto o autocarro não vinha...


no Museu da Carris.




Exposição no Conservatório de Dança

Durante o ano lectivo transacto tivemos acesso a algumas aulas de dança no Conservatório para desenhar. Agora vamos ter oportunidade de expor alguns desses desenhos. Em Outubro no próprio Conservatório e, para o ano, na festa de fim do ano, no Teatro Camões. Os desenhos serão impressos em formato A3 num suporte rígido (pvc). 

Quem tiver desenhado, e quiser participar, agradecemos que enviem, com a resolução de 300 dpis e em jpeg, para o email: eduardosalavisa@gmail.com


Desenho de Teresa Ruivo

Calor nas Paredes da Vitória

A nossa costa oeste, de Peniche até Leiria, é normalmente o último refúgio em dias de calor por causa do se estranho micro-clima que cobre as praias com um chapéu de nuvens e as refresca com uma brisa atlântica. Mas todas as regras têm excepções e o último dia da Primavera, dia 20 de Junho, foi uma delas. Só a água fresca, ou melhor, gelada do Oceano Atlântico é que permitia aguentar o calor que fazia. Claro, no dia seguinte a fresca normalidade voltou, indiferente ao Verão que começava...

Estação da Funcheira


A linha de caminho de ferro do sul, partindo de Lisboa, descansa por uns minutos na Funcheira. Quase não há casas aqui. Foi construida de raíz para servir como entroncamento da linha que segue para nordeste, para Beja. Há uns edifícios desgastados e uma velha e enferrujada torre de água, não longe. A paisagem em torno está batida pelo sol e nada parece acontecer. Os sobreiros inclinam-se com o vento, a palha brilha e a terra rochosa das trincheiras da linha enferruja.

Jardins do Museu do Teatro, Lisboa

No jardim do Museu do Teatro há um conjunto de peças inspiradas nas Tentações de Santo Antão, de Bosch. E eu gosto especialmente desta.

domingo, 5 de julho de 2015

Museu da Carris




Este museu é uma surpresa para quem não o conhece e uma fonte inesgotável de motivos para Urban Sketchers. 

Encontro Aljezur

A Escola no meio do mato

Encontro USkP, Aljezur

"Esta era o único pinheiro das redondezas que pelo seu porte de arbusto produzia a única sombra delgada e disputada ao centímetro para quem quis ficar em silêncio a desenhar as falésias." Roubei o texto ao João Catarino daqui:
http://urbansketchers-portugal.blogspot.pt/2015/07/encontro-usk-aljezur.html

Este é meu desenho do tal pinheiro, já famoso aqui e no facebook :)

Fim de semana de praia


O por do sol na fantástica praia do Pego, perto da Comporta, já no litoral Alentejano. Podem ver mais desenhos deste fim de semana no meu blogue:

http://intervalosalmoco.blogspot.pt/2015/07/fim-de-semana-de-praia.html

Museu da Carris




 


Feitos ontem de manhã no Museu da Carris no encontro marcado pela Rita Caré. Ficou tanto por desenhar... Obrigada, Rita.

eram três senhoras

seriam Marias ou Franciscas ou Anastácias...
estavam as três ali postadas de rabo assente na rocha e os pés na água, enquanto badalavam conversas ao ritmo mole das ondinhas esparsas
e eu a olhá-las rabisquei-lhes a pose...

Feira vizinha (bem animada) na Rua Poço dos Negros!





Na casa da Maria Celeste

 
 

Tardiamente publico o desenho feito na semana passada na Casa da Maria Celeste. Na folha da direita fiz uma coisa que me saiu muito mal. Por cima coloquei um papel de cor, tipo colagem, e continuei com outro desenho.

Na Casa João do Rio


Foi no jardim da Celeste, na casa João do Rio, que surgiu este desenho. A mancha foi feita com tintas fabricadas pela Inês na hora com os pigmentos que sobraram do workshop do Luís Ançã.
Pelo meio do desenho ainda deu para apanhar e provar umas ameixas de uma das árvores do jardim.

sábado, 4 de julho de 2015


Um moinho na praia


Um moinho na praia. Calor e banhistas. Toldos e guarda-sóis. Mirones. E o mar a perder de vista... Ah, um pormenor circunstancial: a praia, olhando-se para o lado esquerdo, é rústica, de pescadores e de faina, com peixe fresco vendido no local. Hei-de lá voltar para desenhar os barcos e as redes. É a Apúlia, onde desta vez fixei apenas o ócio de Verão.




Largo do Chiado


Já me perguntaram várias vezes o que faço quando me engano a meio de um desenho... A não ser que o erro aconteça nas primeiras duas linhas, eu continuo o desenho até achar que ele está feito. Neste caso especifico, comecei pela igreja até que precisei de mudar de sitio porque um autocarro se meteu na frente. Avancei um pouco para me aperceber que a perspectiva estava toda trocada, mas continuei, adicionando alguns elementos soltos aqui e ali e resultou este esquisso do largo do Chiado, com uma nesga de praça Camões.

Mais desenhos no meu blog: http://intervalosalmoco.blogspot.pt/

Estátua


sexta-feira, 3 de julho de 2015

NA ESCOLA DE DANÇA DO CONSERVATÓRIO DE LISBOA_2015_X

Seguem-se agora os registos do ano de 2015 (X Série).  Contudo, muitas mais páginas do meu diário gráfico ficaram por trabalhar ( mais propriamente, pintar e digitalizar) assim como concluir este minha pequena produção de postagens equivalente a parte de um ano de deslocações à rua R. João Pereira da Rosa 22, 1200-236 Lisboa.

São múltiplos pormenores que registei (pequenos apontamentos) de cada aula considerados inacabados, por não conseguir acompanhar o movimento, tão rápidos dos alunos .

Por vezes uma ou várias cadeiras era também um equipamento de apoio nos compassos da dança.
Tive o prazer de apreciar o ensaio majestoso de CÁRMEN DE BIZET com adereço       
   ( vestuário) adequado conforme colhi nas duas imagens seguintes do mês de Maio:


No topo da página que se segue, um breve apontamento do espaço da sala de chão em madeira, com espelhos, um piano de cauda, um armário metálico que continha um vídeo que funcionava com música escolhida pela Professora:





Ainda restam até 28Mai15 muitos mais desenhos que procurarei postar aos poucos, aproveitando relembrar simultâneamente as aulas que assisti, vendo os alunos e os docentes trabalharem nesse campo.e até captei alguns rápidos segundos de descanso.Todavia, reconheço que tais exercícios requeriam muita concentração em especial pelos rápidos movimentos que os bailarinos aplicavam.

Por outro lado, gostaria que nos fosse facultado os indícios mais importantes da matéria a fim de ser possível compreender o seguimento da dança. Reconheço que o tempo de explicações que poderiam ser transmitidos aos presentes USKP também era exíguo. Das vezes que inquiri aos Professores estes procuraram elucidar-me e não podia haver alcance para mais.Foram sempre atenciosos.

Não desejaria terminar esta tarefa sem  agradecer aos dois promotores (Mónica Cid e Eduardo Salavisa) a oportunidade de concretizar até ao fim do ano lectivo 2014/2015 essa actividade, agradecendo igualmente à Instituição da EDCN, aos Professores, alunos e funcionários que bem nos atenderam.

Tentei, mas reconheço que teria de exercitar muito mais vezes como já o disseram em várias ocasiões os dois citados Mestres promotores aqui mencionados de cujos registos gráficos de cada um admiro, analiso como estudo, de exemplo, mas não consigo igualar. De qualquer modo, estou grata pela oportunidade que nos foi ofertada. Experiência única que valeu a pena!

Aguardava então o seguimento destas postagens que poderão ser aceites posteriormente na EDCN por consideradas como um ténue trabalho de equipa e que possivelmente como interessados no envio de alguns dos nossos exemplares o resultado final será confortante para os USKP intervenientes.

No Festival Músicas do Bosque sem transumância, nem música...


Aproveitando uma visita à família, passei pelo Festival Músicas do Bosque, onde terminou o encontro dos Urban Sketchers Norte na Transumância das ovelhas pela Serra da Estrela. Já sabia que não podia acompanhar essa viagem, mas depois não pude ficar para a partilha dos desenhos nem para as músicas que prometiam... Ainda assisti a uns ensaios. Vale mesmo a pena pesquisar na Internet os grupos anunciados no cartaz do evento.

Fica aqui o meu desenho na maravilhosa Praia Fluvial da Lapa dos Dinheiros. Fotos e mais estórias AQUI.





baloiçar.


Estas tardes em casa da Maria Celeste valem ouro...

Desafio - Calor

Para este desafio fui buscar um desenho que fiz há pouco de um local fresco - a Mata municipal de vila viçosa- onde a temperatura era de 30ºC às 19h30. Que maravilha de local que filtra 12ºC. As árvores deste espaço são fantásticas neste aspecto. É que la fora estavam 42ºC à sombra e no carro marcavam 46ºC. Enfim tudo normal para a época por estas paragens.