Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sábado, 27 de agosto de 2016

Swasky no jardim das Amoreiras

...nesta optima ws, a proposta era rodar ,a partir do lago, para apanhar os vários ângulos...e tudo ficar ligado(o mais difícil)...mas a igrejinha tem de rodar90º no sentido dos ponteiros do relógio...
 

Dias com sol à beira d'água #08


Continuando o leporello... 

Uma ilha pressupõe uma envolvência marítima que permite escolher, com facilidade, em alternância à praia uma ida ao snorkeling. Neste caso o «calhau» dos Mosteiros é uma boa escolha.

(Graph'it shake,  Graph'it fine Liner e lápis de cor)                                                                                                                                    |«in situ»|

Pequeno almoço

Embora não o faça muitas vezes considero que desenhar o pequeno almoço é uma excelente forma de começar o dia. Deixa-nos descontraídos e preparados para o dia que começa.Gosto muito de desenhar comida mas também gosto muito de a comer. Por isso nem sempre consigo resistir aos 5 minutos de espera enquanto desenho.  

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Pedras Perdidas em Santa Cruz

Traço e mancha enquanto a maré sobe, numa daquelas manhãs de olhos meio adormecidos...


Templo de Debod

Quando se construiu a barragem de Assuão, no Egipto, vários templos foram trasladados para evitar que se tornassem ruínas submarinas, sendo o mais conhecido o templo de Abu Simbel. Esta tarefa só foi possível graças à ajuda internacional. Como forma de agradecimento o Egipto doou  um dos templos resgatados a cada um dos países envolvidos.
E é assim que encontramos em plena Madrid um autentico templo do antigo Egipto!

Rossio


Voltar aos mesmos lugares de há um século atrás, desenhando os mesmos motivos que o mestre Roque Gameiro nos legou, é formidável e para mim, devido ao valor do pintor, quase assustador. Este é meu primeiro desenho deste desafio genialmente criado por Pedro Cabral.
Foi rapidamente feito num matinal Rossio, onde reparei que os milhares de turistas se levantam tarde e perdem a luz matinal de Lisboa. E estava a ver que que ficava sem figuras humanas.



De Tavira até à ilha

Vista de Tavira para a ilha, com o Gilão ao centro, numa tarde de verão quente e perguiçosa.


Lisboa

No Castelo de São Jorge a desenhar pessoas que desenham
Marcador Staedtler : Canetas de Feltro

Tarde de Verão no Parque Bensaúde

Apesar de ser tão perto de minha casa, só hoje lá fui. A parte da esplanada estava em obras, por isso só apeteceu um café rápido, e um passeio pela sombra. Com muitos bancos de jardim e mesas para piquenique, esta árvore chamou-me a atenção. Destacava-se em contraluz, vista do banco onde estávamos sentadas.



Cascais

 Duas vistas a partir da Casa de Santa Maria. Uma para o exterior para a esplanada de Santa Marta onde vos digo que vale a pena ir almoçar para  desenhar a própria casa e outro desenho feito no interior onde ainda estão expostos vestidos de Agatha Ruiz de la Prada.

Praia Pequena de Água d'Alto | São Miguel


Na praia pequena de Água d'Alto enquanto uns se deleitam vislumbrando -ao fundo- a Caloura, outros mergulham no mar ou... em leituras. 

(Graph'it fine Liner e lápis de cor)                                                                                                                                                               |«in situ»|

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Na BARCAÇA do Jorge

É a bordo da Barcaça do Jorge, saboreando o passeio ao longo da barragem de Castelo do Bode, que tradicionalmente o nosso grupo comemora o Verão. Este ano o evento fica aguarelado :-)

Jardim Botanico




Mais umas árvores...

"O ferro de engomar"

Vivi alguns anos na Rua Possidónio da Silva e habituei-me a ouvir, quando se referiam a este conjunto de casas, "O ferro de engomar". O nome deve-se a semelhança com a forma de um ferro dos antigos. Apesar de nunca ter entrado em nenhuma casa percebia-se que as condições não eram muito boas. Fizeram obras e das caravelas que existiam nas paredes já só lá está uma! É pena que se destrua assim o nosso património!

praia da fábrica


Capela de Nossa Senhora do Mar


Lisboa : Graça do Vinho
Esferográfica BIC : Canetas de Feltro

Cascais


jardim Gulbenkian



E ainda mais árvores...mesmo passando o verão em Lisboa

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Dormir ao sol faz mal

Quando se fica por perto e se dormita ao sol, dá para fazer um desenho e depois é acordar que isso faz mal.